Obras paralisadas, falta de merenda, prisões e suspeitas de fraudes à licitações atingem a rede estadual de educação
Fonte: Rádio Vida Nova e Zamkers
Publicado em 29/09/2018 ás 09:37:48

Segundo o Tribunal de Contas do Estado, em reportagem do portal G1 (vide link) Mato Grosso tem pelo menos 421 obras públicas paralisadas hoje. Há pelo menos 21 reformas ou projetos em escolas públicas de Mato Grosso paralisados, além de 11 reformas em quadras esportivas, 5 postos de saúde, 4 unidades de saúde, 3 creches dentre outras obras, ou seja, 35 obras relacionadas a educação e esporte.

A paralisação de obras atinge todas as regiões do Estado

Em Canarana/MT a Escola Estadual 31 de Março vem passando por um período conturbado em suas atividades escolares, fundada em 1973, a primeira escola estadual do município, ao longo dos anos, passou por várias reformas e ampliações. Entretanto, após 45 anos, a estrutura começou a ruir, colocando em risco alunos, professores e funcionários.

Em dezembro de 2016, pais e responsáveis pelos alunos, juntamente com os professores e a direção da escola, se reuniram para discutir a situação da estrutura. Ao final da reunião, uma comissão foi criada e encaminhou ao Ministério Público uma solicitação para a adoção de providências (reconstrução).

Depois de muita insistência e audiências, o governo do estado decidiu demolir a estrutura para começar uma nova escola. Os alunos foram transferidos do local desde dezembro de 2016, passando por duas instalações provisórias, com a promessa do governo do estado de colocar os alunos em salas containers.

fonte: rádio vida nova fm.  Ao citar a matéria indicar a fonte www.institutozamker.wordpress

 

 

 

 

 

As obras foram iniciadas para a construção das salas containers,  mas, antes de sua conclusão, a construtora abandonou a obra por falta de pagamento por parte do governo do Estado. Valéria Mendes, diretora da escola, concedeu entrevista a Josué Martins (Rádio Vida Nova FM) lamentando o fato. “Nós não poderemos sair daqui porque o governo do Estado não pagou a empresa que está montando as salas móveis. Agora teremos que renovar o contrato, embora ninguém esteja gostando deste local, e temos que esperar a boa vontade do governo do Estado. Atualmente a escola está trabalhando com 540 alunos. Na antiga estrutura, a escola vinha trabalhando com uma média de 700 alunos”, concluiu.

Os alunos foram remanejados para um prédio locado do Esporte Clube Canarana, onde estão abrigados desde maio de 2017 em salas de aula improvisadas.

Descaso ou abandono?

Além de não solucionar o problemas após decorridos quase 2 anos, nem mesmo, com a construção provisória de salas temporárias, mais adequadas que as atuais, a população local cobra das autoridades o destino que foi dado a  milhares de telhas, centenas de metros quadrados da madeira do telhado, e os aparelhos de ar-condicionados das salas de aula.

As obras paralisadas no Município de Canarana, por exemplo, receberam contrapartida do município, levando a Prefeitura local a investir em serviços de terraplanagem, para a recepção das salas móveis, entretanto, toda essa estrutura está ao relento, sem telhado ou proteção e sem perspectiva de conclusão da obra, apesar das inúmeras reivindicações dos alunos, pais, professores e do Ministério Público, apesar do transcurso de quase 2 anos do desalojamento dos alunos para locais provisórios.

A antiga escola, hoje abandonada, tem servido de “banheiro público” improvisado ou abrigo de usuários de drogas e álcool.

 

 

A escola no final do ano de 2016, quando os alunos foram desalojados, já passava por problemas igualmente preocupantes, pois em tempos de chuvas tinha algumas salas inundadas e haviam goteiras na maioria das salas.

Na época a promessa do governo do Estado era de início das obras em 2017 para conclusão da obra em março de 2018.

veja link de matéria abaixo que noticia a reforma.

HTTP://WWW.GAZETADIGITAL.COM.BR/EDITORIAS/CIDADES/PAIS-FECHAM-ESCOLA-POR-CAUSA-DA-ESTRUTURA-FISICA/498065

fonte: gazeta digital (arquivo)

Calebe Cruz, 13 anos, que estuda na escola há 5 anos, relata que “quando entrou na escola era uma escola boa (…), mas agora, depois de mudar de prédio (tantas vezes), nós estamos num barracão, e está complicado a situação, porque os alunos não conseguem acompanhar o que está sendo ensinado em razão do barulho excessivo, estão esgotados física e mentalmente. Os professores têm aumentar o tom de voz (para que os alunos possam ouvir) e isso tem feito com que muitos deles fiquem doentes(…)”. O local é inapropriado para o ensino e os alunos e professores estão sendo prejudicados todos os dias.

A situação encontrada em Canarana/MT, se reproduz em várias outras cidades do Estado, em Cuiabá, por exemplo, mais de um ano depois da operação Rêmora que segundo a TV Centro América e o portal G1, “revelou um esquema de fraudes em obras de escolas estaduais, continuavam sem saber quando as obras seriam concluídas.” Essa situação, por exemplo, foi vivenciada na escola estadual André Avelino (Cuiabá), que teve a licitação suspensa por suspeita de fraude. Munir Kassen, diretor da escola, durante reportagem da TV Centro América reclamou da obra paralisada, “o refeitório é inadequado para a quantidade de alunos, temos 1.600 alunos aqui. Fica uma obra paralisada, digamos, um elefante branco, e a gente não pode utilizar esse espaço ….” lamenta o diretor da escola.

A operação Rêmora levou à prisão do Secretário Estadual de Educação de Mato Grosso Permínio Pinto (PSDB) em julho de 2016, dois meses após Permínio conduzir um grupo de amigos numa manifestação contra a corrupção.

 

 

 

 

Em Várzea Grande a reforma de pelo menos 8 escolas teria sido prejudica por causa do esquema de corrupção identificado pela operação Rêmora. A escola Dunda Rodrigues é uma delas.

Os alunos ouvidos reclamam da situação de abandono das escolas.

No dia 21 de setembro de 2018, a professora Renata Furlan, da Escola Estadual Monoel Cavalcanti Provença nos relatou que no mês passado a escola teve que suspender as aulas por alguns dias, porque não recebeu repasse da merenda escolar, e além disso, boa parte da madeira do telhado estava infestada de cupins. Nessas primeiras chuvas já foi possível sentir o que virá pela frente. “Quando chove temos que tirar as carteiras do lugar e deixar os alunos amontados num canto para continuarmos a aula” Afirmou a professora.

A professora nos relatou ainda que a Secretaria de Educação foi informada e que encaminhou uma equipe ao local, mas que eles se limitaram a trocar algumas madeiras, o problema não foi resolvido, e a escola também precisa de reformas em todo telhado.

Isadora Gonçalves, aluna  do 9º ano, afirmou que: “estamos precisando urgente de uma reforma, os cupins estão espalhados pela escola inteira”.

Mas o problema da educação em Mato Grosso não se restringe a paralisação de obras.

Falta de merenda nas escolas estaduais

Além da suspensão de aulas, em Cuiabá na escola estadual Manoel Cavalcanti Provença, por falta de merenda em decorrência de atraso no pagamento, em Nossa Senhora do Livramento/MT a escola estadual José de Lima Barros, que atende 612 alunos, teve que organizar um bingo para arrecadar dinheiro para a merenda e evitar a suspensão das aulas ou que os alunos fiquem com fome.

Segundo o portal G1 o evento teria ocorrido na última quinta-feira. A escola enviou um bilhete aos pais com explicações sobre o evento informando o atraso no repasso dos recursos da merenda e pedindo doações de prendas e brindes. A diretora da escola, Ana Cláudia de Campos, afirmou que o 6º e 7º repasses da merenda estão atrasados. Cerca de R$ 4 mil deveriam ter sido repassados para a escola.

 

 

 

Além da falta de recursos da merenda a escola já não possui produtos de limpeza e outros itens.  “Já falta papel higiênico, não temos dinheiro para comprar gás de cozinha. Assim fica impossível, porque não temos outra fonte. Não queremos ter que fechar as portas, essa é a nossa última opção”, declarou a diretora da escola.

Ainda segundo a unidade escolar, a regularização do pagamento já foi cobrada junto ao governo do estado. Em reposta, o executivo alegou que deve realizar o pagamento até o dia 30 de setembro.

 

 

 

 

 

 

Tribunal de Contas do Estado (TCE) realiza auditoria especial de ensino

 

 

 

 

 

 

O TCE fez diversas recomendações ao Governo do Estado de Mato Grosso em razão de Auditoria Especial do Ensino, mas 65,5%  delas não foram implementadas pelo governo do Estado.

Recentemente, após nova auditoria, foram encontradas mais irregularidades, dentre as quais se destacam:

  • Não há repasse de recursos para a merenda escolar de 88,63% dos alunos do ensino médio regular.
  • 73% das escolas visitadas não possuíam extintores de incêndio e, nos 27%  das escolas estaduais que tinham o equipamento , eles estavam vencidos.
  • falta climatização nas salas de aula em quase 30% das unidades de ensino fundamental e médio.

Com as auditorias o TCE visitou in loco 25 instituições em 17 cidades, como Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Santo Antônio de Leverger, Diamantino e Poxoréu e outros.

Operação Rêmora

A operação Rêmora começou em maio de 2016 e teve seu auge em junho de 2017. Mais de 20 pessoas respondem por desvio de dinheiro público e corrupção, entre elas está o ex-secretário de educação Permínio Pinto (PSDB) e o empresário Alan Maluf, primo do deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB).

Segundo o Grupo de Operações Especiais de Combate ao Crime Organizado – GAECO – do Ministério Público do Estado a quadrilha desviava verba da Secretária de Educação destinada a reforma de escolas estaduais de Mato Grosso, prejudicando várias escolas.

Para saber mais sobre a operação Rêmora clique nos links abaixo:

https://istoe.com.br/tag/operacao-remora/

Atualizações

Essa matéria sofrerá atualizações ao longo do dia de hoje e dos próximos com a entrevistas de outras pessoas. Se sua escola também foi afetada entre em contato conosco pelas redes sociais e curta nossa página no link a seguir e interaja com outras pessoas: https://www.facebook.com/institutozamker/

 

Por Dirceu Luiz Egewarth

equipe de apoio Josúe Martins e Alan S. Zamker

NCZ: Notícia objetiva e sem manipulação. www.institutozamker.wordpress

 

Hoje nosso sistema registrou

198

Visitas
Se você é um de nossos fiéis ouvintes
Clique aqui para registrar sua visita.
© 2014 - Rádio Vida Nova FM - 87.9
Site Desenvolvido e Hospedado por: